Arquivo | turismo RSS for this section

Passeios em caiaques transparentes fazem sucesso em Tottori

Esse passeio está explodindo em popularidade em Tottori e a sensação que os visitantes descrevem é a de ‘estar voando no céu’

transparent kayaks
Passeios em caiaques transparentes estão explodindo em popularidade na província de Tottori, com turistas descrevendo a experiência como semelhante a de “estar voando no céu”.

As pessoas que visitam Tottori, província ao longo do Mar do Japão conhecida por uma bela área costeira e cavernas esculpidas pelas ondas, podem visualizar vários peixes carapau, lulas e anêmonas-do-mar a bordo de caiaques transparentes (クリアカヤック) enquanto remam ao largo da costa da praia de Uradome, na cidade de Iwami, onde a água é tão transparente como os famosos mares claros na costa de Okinawa.

Os visitantes podem fazer um passeio a bordo de um caiaque de policarbonato de 4 metros na área marinha que faz parte de um geoparque global designado pela UNESCO.

Um serviço local de caiaque está atraindo um crescente número de visitantes, principalmente da Ásia, que descrevem a experiência como se estivessem “nadando com os peixes e deitando em uma carpete de algas marinhas”.

A transparência das águas ao largo da costa da praia de Uradome permite às pessoas observarem a área profunda 25 metros abaixo, igualmente às águas ao largo da costa de Okinawa, de acordo com Koji Hasegawa, líder de um grupo que promove o uso de locais naturais para lazer e educação.

Uradome coast, Tottori,Japan.

Visitantes podem explorar áreas rochosas ou cavernas em 1 dos 5 caiaques de 2 lugares acompanhados por um guia pelo preço de 8.000 ienes.

“Gostaria que os visitantes desfrutem da beleza oceânica e magníficos destaques geológicos”, disse Hasegawa.

A praia faz parte do Geoparque San’in Kaigan, que foi aprovado na Rede de Geoparques Globais apoiados pela UNESCO. O geoparque cobre áreas costeiras nas províncias de Quioto, Hyogo e Tottori e destaca rochas vulcânicas, dunas e estratos geológicos relacionados à formação do Mar do Japão há 25 milhões de anos.

Para mais informações sobre os passeios nos caiaques transparentes (horários, reservas, acesso ao local) : Activity Japan (em japonês).
Fonte: Portal Mie com Japan Times, Kyodo

Anúncios

Aichi terá parque temático de “Meu Amigo Totoro” e outros desenhos do Studio Ghibli

Local deverá ter cerca de 200 hectares e uma reprodução do mundo imaginário de Hayao Miyazaki

Meu Amigo Totoro
O governo da província de Aichi anunciou nesta quinta-feira (1) planos para trazer à realidade as criações imaginárias do diretor de animação Hayao Miyazaki, sob a forma de um parque temático dedicado aos filmes do Studio Ghibli.

O governo local tem como objetivo inaugurar o “Parque Ghibli” em Nagakute, no Expo Memorial Park da Província de Aichi, em 2020, informou o jornal Mainichi.

O Studio Ghibli é a empresa de animação responsável pelos desenhos de Miyazaki, incluindo “Meu Amigo Totoro” (Tonari no Totoro) e “A Viagem de Chihiro” (Sen to Chihiro no Kamikakushi).

De acordo com a província, o governador de Aichi, Hideaki Omura, e o produtor do Studio Ghibli, Toshio Suzuki, concordaram com os planos para o parque, que deverá ter cerca de 200 hectares e uma reprodução do mundo de “Totoro”.

No entanto, o plano não prevê alterações significativas para o parque atual. A província deve solicitar propostas de planejamento de uma ampla variedade de fontes, incluindo empresas privadas.

O Expo Memorial Park já abriga uma atração popular que mostra uma casa da era Showa das duas irmãs que aparecem na animação “Meu Amigo Totoro”, Satsuki e Mei.

O parque foi aberto pela província de Aichi em julho de 2006, depois de sediar a Expo 2005. O local foi transferido para o governo gratuitamente após o encerramento do evento.
Fonte: Alternativa

Famoso monte em Tochigi começa a adquirir as cores do outono japonês

Temporada começa no meio de setembro e vai até o final de outubro

monte-chausu-em-tochigi

O Monte Chausu (茶臼岳), em Nasu (Tochigi), classificado entre as 100 montanhas mais famosas do Japão, é também um dos locais mais visitados na região devido ao espetáculo do “kouyou” – quando as folhas das árvores adquirem um tom avermelhado no outono.

Localizado no Vale Nasu, o monte tem várias trilhas que se interligam entre as montanhas. Uma das mais procuradas é a do Monte Asahi, principalmente por visitantes que querem tirar fotos do nascer do sol.

Quem quiser observar a paisagem do alto, pode utilizar os teleféricos e subir direto ao topo do Monte Chausu. O trajeto da escalada, que costuma levar mais de uma hora e meia a pé, é encurtado para apenas 4 minutos.

As principais montanhas que formam o Vale Nasu são:
Monte Chausu: 1.915 metros de altura
Monte Asahi: 1.896 metros de altura
Monte Kurooya: 1.589 metros de altura
Monte Sanbonyari: 1.917 metros de altura

A temporada começa no meio de setembro e vai até o final de outubro. Todos os anos, o vale é visitado por cerca de 400 mil pessoas.

O contraste das cores entre o vermelho, verde e azul dos lagos proporciona um espetáculo inesquecível de outono.

Alguns cuidados básicos para escalar o Vale Nasu:
– Usar sapatos confortáveis, de preferência próprios para escaladas de montanhas (principalmente para quem vai escalar a pé, porque há risco de escorregar entre as pedras)
– Providenciar capas para chuva, água, comida, bastão para escaladas e luvas
– Usar roupas confortáveis, que ajudam na transpiração
– Em alguns locais das montanhas o sinal do telefone móvel pode falhar
– Registrar o nome na lista de escaladores, quando chegar na estação Nasu Ropeway da linha local

Para mais informações, clique aqui.
Fonte: Alternativa

Via láctea chega na Tokyo Tower

tanabata tokyo towerAntecipando a comemoração de Tanabata, o tradicional festival japonês, a Tokyo Tower recebeu uma verdadeira via láctea tecida em todas as áreas para encantar os visitantes.

Foram usadas 160 mil lâmpadas LED para representar um céu de verão, onde Orihime, a princesa tecelã, se encontra com seu amado, Kengyu, o pastor do gado, na sétima noite do sétimo mês do ano, ou seja, em julho.

Até o ano anterior, somente metade da área foi decorada, mas para esta estação, foi usado todo o espaço. De uma altura de 145 metros, as vidraças mostram a noite iluminada da capital do Japão, enquanto no interior há um outro céu totalmente estrelado, desenhado com lampadinhas azuis.

tanabata tokyo tower

Até 31 de agosto o público pode apreciar essa beleza, das 17h00 às 23h00.
Fonte: IPC Digital com Asahi

Cerejeiras que florescem mais cedo enfeitam pequena cidade em Shizuoka

Festival de Sakura de Kawazu começou nesta quarta e vai até 10 de março

kawazu sakuraA primavera ainda não começou, mas já é possível apreciar uma espécie de cerejeira que floresce mais cedo, a Kawazuzakura.

Essa espécie é comum em Kawazu, uma pequena cidade que fica na península de Izu (Shizuoka), e por isso recebeu esse nome. O pico de floração deve ocorrer depois do dia 20 até o início de março.

Em toda a cidade, existem aproximadamente 8 mil pés e cerca de 800 enfeitam as margens do rio Kawazu, formando um corredor de flores.

A Kawazuzakura é diferente da Someiyoshino, a espécie mais comum no Japão e que serve de referência para os meteorologistas preverem quando se dará o pico de floração.

As únicas semelhanças são o formato e a quantidade de pétalas -cinco- em cada flor. A cerejeira de Kawazu tem uma coloração mais rosada e dura mais tempo, sem contar que os botões são maiores e aparecem mais cedo.

Origem
Em 1955, um morador de Kawazu chamado Katsumi Iida encontrou por acaso uma muda de sakura e decidiu plantá-la em seu quintal. Onze anos depois, com a planta já crescida, apareceram as primeiras cerejeiras de tom rosado e desde então a árvore floresce periodicamente no final de janeiro, com duração de aproximadamente um mês.

Em 1968, Mitsuya Katsumata, um morador de Ito (Shizuoka), decidiu reproduzir a espécie e plantou mudas em uma grande área de Kawazu.

A denominação Kawazuzakura se deu em 1974 porque, após várias pesquisas, especialistas descobriram que a espécie só existia na cidade e foi gerada de um cruzamento natural entre outros dois tipos de cerejeiras, o Ooshimazakura, que costuma florescer mais cedo, e o Hikanzakura.

A árvore que deu origem à espécie ainda existe no quintal da residência de Iida, que fica a 1.200 metros da estação Kawazu, linha Izukyu.

Festival
Durante o período de floração, a cidade realiza anualmente o Festival de Sakura de Kawazu, que começou nesta quarta-feira e prossegue até 10 de março.

No evento, os visitantes podem apreciar as cerejeiras em vários pontos da cidade. Os trechos mais floridos estão à beira do rio Kawazu, desde a ponte Housen até a foz no mar, e nas proximidades da linha de trem Izukyu, onde fica a estação.

O Festival oferece infra-estrutura como inúmeras barracas de comidas e bebidas, lembranças, banheiros públicos e amplo estacionamento para carros de passeio e ônibus de excursões.

À noite, as cerejeiras recebem uma iluminação especial, oferecendo um visual bem diferente do que pode ser apreciado durante o dia. Os visitantes ainda podem experimentar gratuitamente um tipo de chá naturalmente doce, o Amagi-amacha, espécie típica na região.

Festival de Sakura de Kawazu
Quando: até 10 de março, das 9h às 21h
Onde: às margens do rio Kawazu e nas proximidades da estação
Como chegar
De trem: estação Kawazu da linha Izukyu, que sai da estação JR de Atami
De carro: da rodovia expressa Tomei, saída Numazu, acesso pela estrada Amagi Line (rotas 136 e 414)
Estacionamento: 500 ienes por carro (8h30 às 17h) e 200 ienes (19h às 21h)
Tel: 0558-32-0290 (Associação de Turismo de Kawazu)
Fonte: Alternativa

Para quem quer fugir da multidão em Tóquio: Kichijoji, pequenas lojas e um grande parque

KichijojiOs visitantes que desejam passar algumas horas longe das atrações turísticas do centro de Tóquio, pode considerar embarcar em um trem para Kichijoji. O bairro tem uma área de compra menores, alguns excepcionalmente japonês, e um grande parque.

A Estação de trem Kichijoji fica a oeste do centro de Tóquio, na linha Chuo, a uma parada do popular Museu Ghibli. O museu é dedicado a obra do Studio Ghibli, que é conhecido por filmes de animação, incluíndo “Meu Vizinho Totoro” e o vencedor do Oscar “A Viagem de Chihiro”.

Com muitas lojas bonitas, restaurantes que oferecem lugar ao ar livre (o que não é comum em Tóquio), cafés especializados em waffles, crepes, comida francesa e italiana, é um lugar que vale a visita.

Parque Inokashira

O Parque Inokashira é cheio de grandes árvores ao redor de uma lagoa, onde você pode alugar pedalinhos e ver artistas de rua nos fins de semana de clima agradável. O parque é também um bom local para ver flores de cerejeira (durante a temporada).

Há também um pequeno zoológico, a primeira seção é principalmente de aves. Os visitantes podem ser surpreendidos com esquilos que vagueiam livremente. A entrada custa ¥400 para adulto. E uma pequena área é dedicada as crianças.

Sun Road Shotengai

Para uma experiência de compra tradicional japonesa, do outro lado da estação há uma estrutura metálica azul-verde alta. Esta é a Sun Road Shotengai, uma rua comercial coberta por uma arcada. É como um shopping center, vendendo de tudo, desde óculos até legumes. Você encontrará boutiques, lojas de desconto, sapatos simples e elegantes, livros, cafés, todos os tipos de roupas, farmácias e restaurantes, com mais comida japonesa nesta área do que em outras partes do bairro. Em uma pequena cabine de turismo, é possível obter um folheto em inglês sobre a área.

Harmonica Tokocho

Para uma viagem de volta no tempo (metade do século 20), não perca a Harmonica Tokocho, um labirinto de ruelas estreitas repletas de pequenos bares e restaurantes, vale uma visita a qualquer hora do dia, porém, a noite é mais animada.
Fonte: IPC Digital com Japan Today

Uma noite de estadia (zen) no Templo Eiheiji, Fukui

Templo Eiheiji
Se você quiser vislumbrar uma vida que aparentemente não mudou muito em oito séculos, o templo Eiheiji nas montanhas fora da cidade de Fukui, no centro do Japão, é um ótimo lugar para encontrá-la. Isolado de outras partes, o templo na costa ocidental do Japão, é um complexo de mais de 70 prédios e fica em uma colina entre uma densa floresta de altos cedros.

Templo Eiheiji, Japao

O templo, estabelecido pelo monge budista Dogen, em 1244, é um monastério ativo, onde cerca de 150 monges estão em treinamento. Eles seguem os caminhos tradicionais da Escola Soto Zen, vida simples, e estão prontos para receber todos que quiserem se juntar a eles.

Templo Eiheiji Japan

Os visitantes podem, além de fazer somente uma visita de um dia, também passar noite. O templo oferece alojamento, incluindo duas refeições e a oportunidade para meditação zen e leitura das escritas budistas.

O valor por pessoa sai ¥ 8.000 (hospedagem mais duas refeições). É necessário fazer reservas, especialmente para quem não fala japonês, para o templo deixar um monge que fale inglês à disposição.

Templo Eiheiji Fukui

As refeições são vegetarianas, conhecidas como “ryori shojin”, derivadas de restrições alimentares de monges budistas.  Os visitantes ficam em um edifício moderno, chamado “kichijokaku” e recebem uma sala com tatames com futon e uma mesa, mas sem comodidades, como televisores ou mini-bares.

Na parte da manhã, podem juntar-se à leitura das escritas, que começa pouco antes das 4 horas. Toda experiência termina após o café.
Fonte: IPC Digital com Japan Today